sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Meu fluido misterioso.

Ele me faz rir, ele me faz rir a meia noite com apenas uma frase dita no celular que depois desliga na minha cara, ele me faz sorrir com a sua mania de limpeza, ele me faz rir com a sua risada.
Ele tem um olhar penetrante, (com) centrado, olhos quase verdes.
Me emprestou um livro que tem umas anotações, estranhas como ele. Grifa sempre as partes melancólicas, ele acha que melancolia é bonito, é quase a alma do escritor, mas quem não gosta de melancolia?
Olha só essa parte:
“Ainda não esqueci a doce melancolia de que foi atacado o meu coração, ainda me parece sentir uma espécie de sobressalto, uma espécie de terror, que se apoderou de minha alma quando pela primeira vez, estando ao sol no ponto mais alto de sua carreira, entrei naquele sombrio e calado retiro”
As vezes eu admito que estou bem chata e ele me agüenta, só o meu irmão agüentava minhas chatices, ele num tem obrigação de agüentar e agüenta.

Ele fala só o necessário e eu o cobro por isso, digo que ele está sempre quieto, e ele diz que é porque é observador.Mais uma coisa que me faz rir.
Inteligente, até demais, se fosse feio, seria nerd, mas é bonito e pegador demais pra isso.
Gosta de Drummond, Machado, chaves e álcool em gel.Usa palavras bonitas, quase num fala palavrão.
As roupas, neutras, camiseta lisa, simples sem marca, sem logotipo, sem frase.Calça sempre simples, ou preta ou xadrez ou bermuda.E um tênis preto escrito umas coisas a caneta.
É passional, não se emociona fácil, mas sabe usar a emoção na hora de escrever.Sabe usar as palavras, encaixá-las, sabe usar o português, ele tem a literatura a seu favor.Eu acho ele exigente demais e um pouco metódico pra escrever.Prefere escrever a mão,prefere o erro do lápis invés das ondinhas vermelhas do Word.Sabe desenhar.

*
Um personagem da vida real.Mais que um amigo, é o meu lirismo momentâneo.Meu Werther contemporâneo : Marcelo.
Já que amigo é pra se guardar do lado "Izquierdo" do peito.


3 dizeres:

Marcel Hartmann disse...

Que bonitinha declaração. Adoro ver declarações que fogem da mesma coisa, o "tá sempre do meu lado" ou "me irrita mas eu amo".

beijo

mvizquierdo disse...

Amei, amei
Amo, amo.
Amarei, amarei.

Estou ai tudo, todo eu.

Impossível descrever.

Eu não te aguento; tua alma é inerente à minha, e vise-versa.
Afinidade indescritível.
Eu não te conheci, eu lembrei de ti.

Rods disse...

Nem se eu tivesse dois pulmões(HUAHAUHAU) poderia inspirar ar o suficiente para livrar meu peito do peso estranho que me obriga a escrever. Preguiça de ler... juro que volto. Eu sempre leio.