quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Mas há sempre um pouco de razão na loucura.



"A vida era pra ser perfeita, porém o ser humano em sua volúpia de existência e a sua “inteligência” suprema, se tornou escravo das coisas que ele mesmo inventou: Religião, Dinheiro, Trabalho, Transporte, Política, Tecnologia. Posso dizer que tudo isso fede, o mundo não tem mais solução, a raça humana é caótica." desconhecido

Diante dessa afirmação, eu acho que ela se equivoca um pouco, já que as pessoas gostam do caos, eu gosto.Assistindo a um programa televisivo hoje, comecei a pensar, qual é o meu caminho para o caos?
E se o caos me agrada?
Eu então fui procurar o significado da palavra no dicionário para ter certeza com que eu estava lidando. E reparem bem "Confusão dos elementos antes da criação do universo."
Antes? Voltamos ao Caos?Confusão e desordem.
Mas como dizia Nietzsche, a desordem é tão interessante quanto a ordem.Ele até dividiu entre Dinisiaco e Apolineo, respectivamente o deus da desordem e o deus da orderm.
O ser humano não é caótico e é nisso que está o problema da humanidade.Ela assumiu um meio termo que não existe.
O mundo vai acabar por falta de "desequilibrio", ironico não?

eu vou colocar o meu all star e procurar você....
já que meu caos é o amor.

4 dizeres:

Marcel Hartmann disse...

O caos faz muita gente funcionar, muitos se acostumaram a somente se encontrar no caos, o que não é necessariamente ruim, só não dependem da organização e paz que antes havia no mundo. Pra fugir desse caos não tem como, só sendo Amish. Além do mais, o ser humano adora esperar até o último momento pra fazer uma escolha, é como se fosse ótimo sofrer antecipadamente. Aliás, é ótimo, se não fosse, ninguém sofreria antecipadamente.

SarahC. disse...

nossa, minha vida lidera o caos..eu sinto prazer no caos. sou menos ou mais por conta disso?
acho que o ser humano vive disso controlando seu próprio caos,

beijo linda !

Rods disse...

Numa boa? Eu SOU o meu próprio caos. rs

Hiorrana disse...

Desequilibrio.
Meu ou dos outros?

Bom texto.
Beijos