terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Ano Novo de Novo.

Eu num sei, eu realmente não sei.Acho que todo final de ano é uma mescla de nostalgia com esperança.A gente precisa abandonar algumas palavras, alguns gestos, algumas roupas e até algumas pessoas para continuar em frente.Porque isso tudo já tem forma, já é nossa fôrma, que chegou ali através da nossa fórmula.E se nós estamos em constante mutação, nossa formula nunca será matemática.Somos subjetivos, e para subjetividade ninguém está preparado. O ser humano quase sempre não é preparado para o futuro, deposita expectativas, constrói planos, e nunca chega ao final da estrada. E a estrada está sempre congestionada de outros sentimentos, de várias pessoas, e principalmente, sempre surpreendida por máquinas, uma atrás da outra, em uma fila indiana quase infinita. A contagem dos anos é infinita, repleta de motivações e rotinas anuais, com datas comemorativas, e compromissos em função do consumo.Mesmo assim vale a pena traçar metas, criar objetivos e tentar sempre ser feliz naquele intervalo de tempo.Absorver as datas religiosas para estar com a família,remexer o esqueleto no carnaval, comer os ovos de páscoa,.... Mas que como um bom brasileiro ou qualquer mundano, aproveitar o “feriadão” será sua maior motivação, dentro de uma rotina que te desgasta te faz triste e feliz a cada momento, e brilha o mundo com cada sorriso.


Sendo assim um FELIZ 2010.

O DINAMITE agradece a sua visita em 2009 e te espera em 2010.

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma de nossos corpos e esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos mesmos lugares.

É o tempo da travessia. E se não ousarmos fazê-la teremos ficado para sempre à margem de nós mesmos”

Fernando Pessoa.

2 dizeres:

Sarah' disse...

É tempo de abandonar a velha esperança e renovar a vida com novas ..

bjs linda, aliás você é linda :]

Marcel Hartmann disse...

"Mas que só faça metas, e não sonhos, pois todo sonho é uma fuga do agora".

Ser humano é um ser que vai sempre ter um X, e por isso eu acho que psicólogos e escritores em geral também são gênios da "lógica", porque buscam sempre tentar achar o nosso X, mas sem nunca querer nunca ajustar a equação, porque o ser humano é assim: insolúvel.