sexta-feira, 10 de março de 2017

transpassa

Me lembro de não te esquecer
Me lembro do seu cheiro ao acordar
do seu sorriso branco
do nosso sono pesado
seus olhos quase verdes
e seu cabelo quase amarelo
seu pescoço iluminado pelo sol
e seus peitos na luz escura da noite que brinca

Me lembro de olhar para o céu, onde quer que eu vá
só pra te contar ou te apontar

Te encontro no azul do céu ou nas luzes da cidade de noite

Ventura

Toda vez que me saco na sua sacada,
tenho vontade de gritar seu nome
junto com o meu
Dentro de mim vivo uma alegoria,
música alta que eu canto sorrindo
Te bebo no café que você nos fez
E me faço
Feito laço
no presente que você já é
para o mundo todo.

segunda-feira, 6 de março de 2017

banda do mar

Ela

Entre nós, só nós.

A gente tava naquele lugar em que vivemos o inevitável, mas ainda não era nosso fim, era só a espera do ônibus que nos separa por 8 horas e uns (não poucos) trocados na rodoviária, quando ela tentando me dar um pista pergunta:
- você sabe que esse bottom é da banda do mar né?
- sei, eu queria tanto um.
Na minha casa no dia seguinte, ela tinha me deixado um bottom da banda do mar antes dessa conversa.
Me emocionei tanto que quero lembrar disso pra sempre.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

E olha onde estamos.

Foi porque eu me apaixonei, foi mesmo. No meio dos textos e além deles. Me apaixonei, mas dava para amenizar, até você aparecer na minha cidade até você ocupar o mesmo retângulo e se deitar comigo na minha cama antes de encostar minha boca.
Me apaixonei antes de provar.
Depois me apaixonei mais e cada dia mais.
E todas as vezes que eu te vejo fazendo algo que nunca vi eu me apaixono de novo e mais.
Me apaixono pela intensidade dos seus atos cotidianos e seu medo de parecer frágil.
Foi isso sim, tenho certeza. Isso de me apaixonar pelos seus sorrisos e todas as fases deles, depois descer para seu corpo todo como quem foca uma lente fixa. Suas pintas. Cada uma delas. Cada. Uma. Até as que eu não lembro de cabeça.
Até eu não lembrar exatamente o momento que me apaixonei, só é. Só foi.
Só somos.
se é que podemos chamar de só esse universo todo de dentro para fora.

eu não quero deixar de ser eu com você.

Estranho como antes da gente se ver, a gente engasga, engasga a fala, prende, parece que perde. 

Mas é bem ali na rodoviária mais próxima que a gente se encontra. Encontra tudo que a gente deixou engasgar e respira o mesmo ar, intercala a respiração e se gruda.
Eu quero mesmo grudar em você.
E todo o resto.
Boto o Phill pra tocar enquanto as sensações me tocam e espero que isso passe, que as coisas cheguem e que eu aprenda a lidar enquanto eu vivo.
Tem coisa que é "pra fora de nós" nessa vida e eu aceito. 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Janaína


Você disse que me visita sempre por aqui e eu preciso te dizer que você era a palavra que estava faltando nos meus textos.
A palavra para terminar minhas frases.
De todos os textos que eu não escrevi, estava faltando você.
Lugares que eu não fui, sensações que eu não senti, céus que eu não enxerguei por medo de arriscar.
Me faz viver a parte mais bonita dos dias.
Espero que esse texto chegue a você.
Esse em especial é para dizer a importância que você tem dentro de mim e dentro disso aqui tudo.
A relevância que o seu amor tem na minha vida.
É com você que eu me sinto leve, breve, é com você que eu vivo o melhor de mim.
E não importa o que aconteça ou para onde o vento nos leve, esse fica além do tempo para contar nossa história.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Fevereiro

Se me distraio
te atraio
Enquanto me ocupo de qualquer acaso em determinado espaço
minha cabeça te pensa.
Penso se a distração é o externo ou é o interno que te lembra. 



Eu acordo cedo, abro minha janela e deixo a cortina recortar o sol que vem e fica.
Assim bem parecido com a sua chegada, autorizada mas que me invade de um jeito bom.
Caminho pelo parque com o meu cachorro e cantarolo músicas com o seu endereço, aquele lugar entre seu cabelo e o meu rosto que me puxa mesmo sem usar as mãos.
E mesmo nos dias que eu não te vejo, se me distraio é com você que eu vou parar.
Revelo aos poucos as fotos e os frames (da cabeça) e mato a saudade de fome como prometido.
Passo as horas, os minutos, sem esquecer de lembrar.
Ouço músicas e te procuro em todas elas, ou te acho perdida em alguma playlist.
De noite quando me deito, também cedo, minha cama estica e abre seu espaço, durmo antes que você adormeça na minha cabeça.

E esse texto não tem final porque eu deixei a gente no "repeat"