terça-feira, 18 de maio de 2010

Nina está de volta.

Para quem num sabe a Nina é uma personagem minha de um livro que fala sobre a passagem do primeiro para o segundo amor. Para entender melhor: (Daniel;o ex) Nina; a principal (Rafael; o namorado)

Confusão que se entrega em mãos.


“Marina, minha me(Nina)”

A gente pode casar numa praia deserta com todas as pessoas que a gente ama, a gente pode casar numa igreja com o monte de gente invejosa só esperando para comer “rondelle” na nossa festa de casamento ou a gente pode casar aqui e agora.O que importa é que nossas almas já se casaram, que a gente se ama e já se amou muito e mesmo que a gente se separe a gente vai estar casado para sempre, porque a gente se marcou da melhor forma que um casal pode se marcar aos 18 anos. E mesmo que a gente se case com outras pessoas vamos sempre ser casados, porque eu te amo. E eu só vou amar outras pessoas, porque te amo também. Eu vi em você a mulher da minha vida e sei que mesmo que eu disser isso para tantas outras eu vou mentir e para você eu deixo só minha alma te completar dizendo o quanto é para sempre. Em outras vidas em outros países, com outras mulheres, será sempre você. Tenho sempre cuidado em dizer para sempre, mas eu sei, eu tenho certeza que você passou e vai estar para sempre.É que no amor o “sempre” é um fator que nem se pode considerar.
Está nesse seu jeitinho quase perfeito demais de dirigir a palavra a mim, de me chamar com carinho essa percepção. È isso o amor, e mesmo que agora me dói muito isso gigante que está dentro de mim. Esta dor vai ser eterna e esse prazer, de saber que sua alma é só minha para sempre, é o que me satisfaz na vida, é o que me faz levantar todas as manhãs, porque a gente casou para sempre, e mesmo que você não seja mais minha para o mundo, você é minha eternamente para mim. E você sabe o prazer de um homem em dizer “ela é minha” para outro homem que também se encante por essa.Nem que seja pela ultima vez, nem que seja para um estranho, nem que seja para o porteiro do prédio no dia do fim.É a frase mais sincera que eu já disse em relação a você, que você é minha, e eu eternizo isso com o meu amor. Eu bebi tantas doses do seu amor, que hoje vivo uma overdose de você. Esse vício quase já cicatrizado que é você em mim e eu assim.

ps: desculpa as rasuras, mas não há palavras que me satisfaçam quando o assunto é você.

D. ”

*

Nina paralisou, isso é lindo, leu durante várias vezes aquela carta escrita com caneta azul, Rafael leu e viu ela relendo.
Qualquer pessoa balançaria com uma declaração dessas, já que é tudo lindo demais, já que é tudo verdadeiro demais.É um coração do lado do avesso, mostrando todos os podres e as coisas boas que amar traz. Dentro do apartamento de Nina tinha 2 pessoas fisicamente e 4 psicologicamente. Estas são Rafael pensando nessa cartada de Daniel; estavam duas Ninas uma pensando em Daniel e outra tentando não pensar ; e Daniel nas lembranças, nos cheiros e na carta mais linda do mês de setembro.Daniel, está aqui presente, ele não está mais com ela, mas é sempre dela e isso faz com que ele vague por essas páginas, com palavras bonitas e todas as armas que o amor pode dar ao ato de encantar o amor da sua vida.

7 dizeres:

Raphael Trew disse...

É difícil manter um personagem, quando percebemos que no fim, ele terá o nosso nome.

Priscilla disse...

Anaa,tenho um selo pra você no meu blog! =D aah,adorei aquele comment (do post: é confuso,mas entenderemos) *-----*

liviadibartolomeo disse...

Ó....me vi na carta que vc escreveu

Marcel Hartmann disse...

UAU
AU

pq tu se superou nessa, cara! sem noção. esse texto é pra guardar.

porque te tenho em mim
mais meus eus para fazer-te
companhia

sarah disse...

Delícia, sentimentos, emoções..

Rods disse...

Daniel parece o vilão da história.
As palavras dele me não deixam mentir. Não levo fé nele. Mas isso sou eu falando. HUAHAUAHUA Carregue a história como ela tem que ser.

Raphael Trew disse...

Preciso urgentemente de loucos em minha vida.

Obrigado pelo sorriso que me deste ao ler seu comentário.