domingo, 18 de julho de 2010

Sobre mais um amor platônico.

Se desse eu guardaria essas pequenas coisas que estão em você numa caixinha, mas não dá para guardar seu sorriso de canto, seu cheiro, ...
Como seria bom se desse para guardar essas coisas em algum lugar que não seja apenas na lembrança. Uma caixa grande que guarda a pessoa por quem a gente se apaixonou em vários pedaços.
Eu não sei porque tenho tanto ciúmes, tanto medo de perder, se eu nunca te tive.
Mas é complicado porque você me dá tanta atenção, compartilha tanto de você comigo.
Engraçado como tem várias conotações das suas ações em mim.
E eu já percebi que quanto mais te vejo, mais eu quero te ver.É um vicio desse veneno natural que está em você.
Hoje eu queria você para mim, mas você sabe que eu acredito que eu não consigo ser de ninguém, e mesmo que por você eu acreditasse num dá.Eu não faço seu tipo.Eu sei.
Tenho que confessar hoje para todo mundo ler, que eu sou apaixonada por você. E num são todos os dias, são alguns dias, que você vem numa intensidade.
Tenho usado muitas fontes de inspiração para o Blog e a de hoje é você.
Dói um pouco saber que eu não vou te ter como algumas vezes eu quero, mas que eu vou te ter aos pouquinhos nessa amizade eterna que o futuro nos preparou.


Vivi
Eu vivi
tanta coisa bonita
Eu vivi
tantos dias
Eu vivia
te xingando
eu  te via
todas as manhãs
Eu Vivi passado e presente
e, por favor
 não fique ausente
do meu futuro
Não quero te assustar
muito menos de afastar
Só quero dizer que as vezes eu perco o sono rindo do nosso dia.

*
Te amo( as vezes tão comum, as vezes tão incomum)
Você vai saber que é para você quando ler, mas se precisar que eu diga (para inflar seu ego) eu direi.

2 dizeres:

Rodolfo Licks disse...

É estranho demais olhar tudo isso, todas essas coisas avulsas e maravilhosas... olhar o mundo e saber que nada nos pertence.

Marcel Hartmann disse...

As tuas poesias são tão boas...