quinta-feira, 22 de julho de 2010

De mãos dadas.

Um passarinho pousou  no braço do seu violão cantarolou duas musicas, voou para vida e levou um pouco de você para ser feliz.
Retoma o fôlego. Respira.Inspira. Precisa de ar.Precisa reaprender a respirar sozinha.Foram 18 com o aparelho. Esse aparelho tem nome e endereço.Esse aparelho tem amor e ódio. Tem RG e CPF. Cartão de crédito e carteira de motorista.
Começa a mexer os dedos do pé.É hora de caminhar sozinha.Insegura.Precisa reaprender a andar sem uma mão que segure.
Saudades por antecipação.Frio na Barriga.Ansiedade.Angústia.
Entra no avião.Sem mão.
Quase sem pulmão.
Nunca mais voltou, nunca mais lembrou, nunca mais ligou para família, mas sempre soube que tinha uma mão segurando a sua.

Esse post é dedicado a toda a minha família.Obrigada à todos, em especial, meus pais e meus 3 irmãos, que são tudo que eu tenho de bom em mim.

3 dizeres:

Jullie disse...

muito legal seu texto, parabéns ! :D
www.sinta-o-amor.blogspot.com

Rodolfo Licks disse...

Não sei se entendi direito, mas parece que alguém quer um romance. Não necessariamente com uma pessoa. Pode ser com uma idéia.

Marcel Hartmann disse...

No começo, pensei que tu fosse viajar. Para onde tu viajaria agora?