quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Vinagre

Papel
com a caneta
mancho de tinta
letra por letra
traço por traço
escrevo seu nome
e desenho seu rosto
depois te contorno
de amor
em cada poesia
coloco seu gosto
e no final
o que vale
é
te amo.

4 dizeres:

Rods disse...

Às vezes você me permite divagar sobre o quão fugaz é o verbo "viver". Você não podia fazer isso com os outros. Tem licensiatura pra isso? HAUHAUA

Rods disse...

Ignore o erro grotesco de ortpgrafia...

Marcel Hartmann disse...

num tem corretivo pra isso.

Livia Di Bartolomeo disse...

eeeeeeita
adorei