sábado, 1 de fevereiro de 2014

Gargalhada de criança.

Hoje as crianças me emprestaram falta de preocupação e foi lindo.
Eu gosto de questionar as crianças, fico perguntando coisas que eu já sei para ouvir a explicação delas.
Na verdade, eu faço isso com adultos também.
Um dos diálogos de hoje foi sobre amor, o tema do blog e da minha vida com a minha irmãzinha, a Bia.

Bia: é do Léo?
Eu: Que Léo?
Bia: O Léo!
Eu: Não sei, que Léo?
Bia: O namorado da Tata.
Eu: Ah! Mas o que é namorado?
Bia: Acho que você não foi pra escola nem pra faculdade nada, porque você fica perguntando tudo.
Risadas.
Eu: Mas o que é?
Bia: Namorado é amor, ué!
Eu: E o que é amor?
Bia: Aii, Lu, chega!

E correu de mim.

Eu: Volta aqui, mano.
Bia: Por que você fala mano? O que é mano?
(Geminianos invertem a situação desde criança)
Eu: Mano é gíria.
Bia: E o que é gíria?
Eu: Gíria é mano.
Bia: E o que é mano?
Eu: Mano é gíria.
Bia: E o que é gíria?

E seguimos nessa brincadeira do Chaves até o infinito. Enquanto ela gargalhava porque eu entrei na brincadeira dela. E vai ser sempre assim, essa troca, eu faço ela rir para ouvir a gargalhada dela.




2 dizeres:

Priscilla Way disse...

Eu fiquei imaginando toda essa situação..e surgiu aqui um sorrisinho e uma saudade da minha priminha que também diz cada explicação!!!

Marcelo V. Izquierdo disse...

ahuahua