quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Também a dor tem suas hipocrisias

Eu nem sei mais e acredito em tudo que mais quero, pelo menos eu tenho ela pra me beijar. Me guardar em um abraço, acuando meu choro, acariciando meus cabelos, como se quisesse roubar toda minha dor para eu ficar bem.
Eu queria uma vida muito diferente dessa, mas "chega de querer, filha". Uma vez ouvi e vi um pai dizer isso para uma criança que carregava uma boneca e um sorvete derretido nos braços dentro de uma piscina de bolinha. Eu não me lembro muito bem o que ela queria, acho que ela queria era ficar ali babando sorvete nas bolas coloridas. Ou mudar de mundo e ir para o Carrossel. Imagine que legal subir em um cavalo e dar voltas ao mundo. Em ciclos e na próxima volta, depois que rodasse novamente e voltasse a vista do pai já estava grande.
Eu fico pensando se reclamo com bonecas e sorvetes nas mãos ou se minhas mãos estão vazias. Se quando eu completar essa minha próxima volta para enxergar (diferente de ver) meu pai e sorrir eu já esteja mais velha.
Eu ainda acredito em mim.

2 dizeres:

Priscilla Way disse...

"Eu ainda acredito em mim."

Vou repetir isso 10 vezes em frente ao espelho e esperar um bom resultado. (;

Biiah Vieira disse...

"Eu ainda acredito em mim."

Vou repetir isso 10 vezes em frente ao espelho e esperar um bom resultado. (;

vou imitar a Pri, pra ver se da certo, rsrsrs estou precisando


www.umteko.blogspot.com
www.minhasmaosdetesoura.blogspot.com