segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Assunto: Aviso de um pedaço que apodreceu.

Oi.
Senti muito a morte da Branquinha. De ouvir ela chegar quieta nos lugares, com um miado leve como quem diz "oi" bem baixinho para não atrapalhar meus pensamentos.
Depois eu fico imaginando que todos os animais que morrem ficam no paraíso dos animais, vivendo livre. Um limbo lindo.
Longe da gente, de gente.
A última noite da Branca ela dormiu entre meus pés. E eu chorei. Estava um pouco frio. E você sabe que eu gosto quando algum corpo esquenta meus pés.
Lembro de uma das últimas vezes que eu chorei pela sua partida e ela veio se encaixar em mim, fazendo carinho com o corpo dela, esfregando as costas na minha perna.Parecia que ela sabia que eu chorava por você. E, engraçado, que ela soltou alguns miados diferentes, mais agudos, como se estivesse chorando também.Eu a abracei e minhas lágrimas molharam seus pêlos. Agora que eu choro de saudades dela, quero seu colo, pode ser?
Ela não saiu do meu lado aquele dia. E nunca vai sair.
Estou um pouco cansado, vou dormir.
Só quis te contar, afinal vocês se davam muito bem.

2 dizeres:

Rodolfo Licks disse...

E quando é que tudo poderá ter pelo menos a expectativa de vir a ser possível ser tudo positivo, sem compensações?

Biiah Vieira disse...

Oii Adorei o blog, e estou seguindo, da uma passadinha la no meu pra ver se gosta tb, www.umteko.blogspot.com bjinhos