quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Gangorra


O brinquedo mais coletivo de todo o parque.
Nenhum sozinho pode subir e descer tão instantaneamente. Eu me sentia sozinha em todo meu parque de diversões de gente grande, com drogas, sexo e gente. Muita gente. Gente tudo igual, que acha que é diferente. E o brinquedo que eu mais queria estava sempre ocupado.Por qualquer pessoa menos eu.
Até que um dia esse brinquedo sorriu pra mim e eu fiquei com medo de brincar nele.
Só que você me pegou pelas mãos e tentou me equilibrar na dualidade.
Eu subi tão alto aquele dia, que doeu muito todos os outros dias que tive que descer.

2 dizeres:

Marcel Hartmann disse...

Virou mania falar que é diferente, que se é distinto, que não sou como os outros, que não gosto de padrões, por isso venero a Lady Gaga e blablablá. Todos se diferindo e se parecendo.

Rodolfo Licks disse...

Olhando estrelas,
na estrada,
lembrei do Bilac

Os carros vinham,
e com eles as luzes
- e, cruzes:
quase me iluminei.

Inclinei a poltrona
e dormi.