segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Hoje sou eu no Gerúndio,Ana Luisa Pacheco no agora.


- Como eu começo?
- Ué, diz qualquer coisa
- Acho que eu vou começar com um diálogo.
- Com quem se você está sozinha?
- Comigo mesmo, e eu não estou sozinha, olha só está todo mundo me olhando, me enxergando nas palavras, nos buraquinhos dos "os" na cobrinha do "a" e por ai vai.
- Ah sim. Diálogos tem que ser de duas pessoas.
- E eu num sou só uma. Tem muitos "eus" em mim.Pra você ter uma ideia eu usei meu "eu" não racional para começar e acabei te enrolando.Na verdade você sou eu.
- Então eu sou o seu "eu" racional.
-Quase isso.



Diálogos em segundo plano.

Entre afirmações ou questionamentos, entre pontos ou virgulas, entre pontos e virgulas ou dois pontos, entre amor ou ódio, entre tristeza ou felicidade, esse ano se encaminha para o fim.Eu não vou desejar e nem recordar nada, mas hoje me deu vontade de falar, de expressar a importância de tudo.De dizer que eu estou bem, e que estou de bom humor.Ai, que sensação gostosa. Nem sei porque estou assim, apenas estou.Existe uma nostalgia gostosa, uma saudade triste, uma vontade de futuro.Eu não estou perdida nos dias, espero quase nada, estou estável e isso é bom e ruim, já que estar morna é quase como não reagir, mas isso, AH isso sou eu. Quase tenho medo de existir.É que assim, você já sentiu o entendimento  escapando pelas as mãos? Mas entender as coisas é como pegar água, não dá. Não dá. Não dá mesmo.
E depois que eu aceitei isso eu transformei a água em gelo e o entedimento se adaptou ao calor das minhas mãos.

Me diz se eu tenho que melhorar.

5 dizeres:

Marcel PH disse...

Entendimento nunca tá nas nossas mãos, haha,achamos que estamos de mãos de dadas, mas daqui a pouco cada um atravessa a rua e os dois se separam.

ps.: adorei o diálogo esquizofrênico.
e também gostei do texto que tu mandou nos meus coments.

Rods disse...

Sem querer, talvez, você fez uma analogia interessante: o conhecimento é gelo. Em nosso poder, é distorcido: vira líquido e escorre para outras mãos.
O que é o conhecimento se não a mudança?

Jaques disse...

Achei muito interessante. Gostei muito do diálogo do começo, mas algo me intriga. Se melhorar é algo que você quer e pede para que lhe digam, porque então você não muda alguma das opções de suas "REAÇÕES" para uma negativa?
Criticas são bem vindas e nos melhoram.

Beijos, menina quase-contradição!

Ana Luisa Pacheco disse...

Hahaha
Oi Jaques.
é esse o espírito da coisa.
brigada pela sinceridade.
vc tem blog?

Caio Ramos disse...

Resposta: Tem sim Ana!xD

Comentário: Profundo...