segunda-feira, 13 de julho de 2009

Jorge Velho, Vini Jovem.

Jorge está comendo coxinha na padaria de esquina.Ele nunca bebe o ultimo gole de coca sem antes comer o ultimo pedaço da coxinha, sabe aquela pontinha da coxinha? pois é, incrivelmente, a parte que ele mais gosta.A coca serve para limpar o aparelho.Sim, ele talvez num tenha idade para usar aparelho, mas quem foi que inventou que as coisas tem idade?
Na verdade isso é parte de uma assimilação que fazemos a determinadas coisas.
E isso num é a única coisa "jovem" em Jorge.A tatuagem que ele fez na perna esquerda ano passado também causou repulsa na família, e claro abriu para os filhos o direito.
Depois de sair, esbanjando um sorriso aparelhado, da padaria pega o skate e vai para casa levando o frango de televisão para o almoço.
Os 2 meninos mais velhos dos 5 irmãos estão jogando bola no quintal, onde o "papai Jorge" fica cinco minutos.Jorge é um ótimo jogador e fiel soldado de terça a noite no futebol de rua, mas como já joga nas terças num pode se esforçar muito para num ficar com o corpo doendo.
Vinicius é o filho mais novo, enquanto toma café com leite lê jornal. Vini adora ler jornal aos domingos, sempre deixando a parte de lazer por ultimo, porque num gosta muito e Jorge sempre rouba essa parte para ler os quadrinhos.Ler jornal, assistir jornal, acordar cedo, andar e comprar pão, metodicamente, são as atividades de velho que Vini tem.
Vinicius e Jorge estão completamente fora das ações que a vida mostra, metodicamente, para cada pessoa em cada idade.O ciclo da vida é tão metódico, mas ao mesmo tempo tão mutável.
Para Vini virar o pai de família só precisa ir trabalhar e buscar Jorge na escola.
Nessa casa o disco de Lp toca em formato MP3 player e o desenho fala sobre o transito, onde, claro, pai e filho.Filho e pai.Velho e novo.Novo e velho. Vini e Jorge. Jorge e Vini, são eternas crianças vaidosas que brincam de trocar as idades.
Num existe a idade das coisas, mas a mutação que elas causam na personalidade de cada um.
Como coisa eu falo de ato.
O ato de um velho por um aparelho e uma criança ler jornal traz o mesmo sorriso de um estranho.
Estranho.


isso é pro meu pai.

2 dizeres:

Dom .A. disse...

Descrição interessante! Gostei!

Primeira vez por aqui! Bj

Amany disse...

achoq ue nossos blogs são parecidos AHAHHAHAHA

como você achou o meu ?